NikkeyBrasil - O site do japonês no Brasil
26/6/2017. Bem-vindo ao NikkeyBrasil. Hoje, com 8272 cadastrados - 29.098.240 visitas
Empresa ou produto:



HOME            
Primeira companhia aérea do Japão beira a falência

A Japan Airlines (JAL), a primeira companhia aérea do Japão e uma das maiores do mundo, está mais próxima da declaração de falência depois que nesta terça-feira os bancos apoiaram essa medida favorecida pelo Governo.

O pouso forçado da JAL, agravado pelas perdas, é visto pelo Governo e pelos credores como a única saída para sua acentuada dívida e seu excessivo tamanho em um setor aéreo que já sofreu reajustes na Europa e nos Estados Unidos.

A companhia aérea japonesa deverá se adaptar a um plano de recuperação que inclui a eliminação de mais de 10% de seus voos internacionais, o corte de um terço no número de funcionários e a redução de 30% nos planos de previdência.

A falência, que poderia ser anunciada na terça-feira 19, seria a sexta maior da história do Japão, já que o valor de seu passivo é de aproximadamente 1,5 trilhões de ienes (US$ 16,35 bilhões), o que situa a quebra no mesmo nível da do banco Lehman Brothers Japan.

O fundo de investimentos japonês criado para ajudar na recuperação de empresas em risco, conhecido como Etic, elaborou um plano que contempla o recurso da moratória como condição para que se injetem fundos públicos na primeira companhia aérea asiática sem que esta deixe de operar.

O ministro de Transportes japonês, Seiji Maehara, insistiu nesta terça que o Governo fará todo o possível para reestruturar a JAL sem que se veja obrigada a interromper suas operações.

O Partido Democrático (PD), do primeiro-ministro Yukio Hatoyama, que pôs fim em setembro a mais de 50 anos no poder do conservador Partido Liberal-Democrata (PLD), aposta em uma falência que contrasta com as três injeções de capital aprovadas pelos governos anteriores (em 2001, 2003 e 2009).

A reestruturação da JAL prejudicará primeiro seus funcionários por cortes de emprego que poderiam superar 15 mil demitidos - um terço do total - e a redução dos planos de previdência de 9 mil aposentados, aprovada hoje por maioria.

Os acionistas, por sua vez, iniciaram hoje a saída da Bolsa devido à possibilidade que deixe de atuar na bolsa durante o processo de reestruturação que poderia prolongar-se durante três anos.

A JAL se viu obrigada a paralisar hoje sua cotação na Bolsa de Tóquio em função de pedidos de vendas que afetaram o índice e fizeram com que a ação caísse 45% para 37 ienes. Há menos de quatro meses ela custava por volta de 180 ienes.

A crise da JAL é também a de um símbolo japonês no mundo todo, já que a companhia aérea terá que reduzir sua rede de serviços no mundo todo para não desaparecer sob o peso de sua gigante estrutura.

A JAL começou a voar como companhia aérea privada em 1987 e em 2002 se tornou, após uma fusão, na sexta em nível mundial, com uma extensa rede de agências de viagens no mundo todo e negócios turísticos que abrangem também hotéis.

Durante esse período, os sucessivos Governos salvaram a JAL com injeções de capital e subsídios que a permitiram operar sob a tutela do Estado, apesar de registrar três anos de perdas nos últimos quatro mandatos.

Ao chegar ao poder, Hatoyama apostou em continuar com essa política de apoio quase incondicional à JAL, mas no final se impuseram as históricas perdas anuais da companhia e o receio dos bancos a seguir apoiando esse esquema de financiamento.

Diante da dimensão dos fatos e uma crise que não permite grandes gastos orçamentários, o Governo japonês decidiu que a companhia aérea se reestruturasse por si só.

A situação levou duas grandes companhias aéreas americanas, a American Airlines e a Delta Airlines, a apresentar ofertas para investir na JAL e conseguir uma vantajosa posição na Ásia, mercado de grande porte que conta com passageiros de maior poder aquisitivo.

O fundo Etic, que elaborou o plano de recuperação da JAL, espera que a companhia aérea não recorra ao capital estrangeiro e siga operando graças ao empenho de contribuintes, credores, funcionários e acionistas, que têm a responsabilidade pelo futuro da empresa.

Todos os Direitos Reservados. Copyright ® ABRAON
pagina gerada em 0.2210 segundos.