NikkeyBrasil - O site do japonês no Brasil
25/6/2017. Bem-vindo ao NikkeyBrasil. Hoje, com 8272 cadastrados - 29.086.946 visitas
Empresa ou produto:



HOME            

Sawa e Sasaki são os grandes vencedores (FIFA)



O japonês Norio Sasaki conquistou a segunda edição do prêmio de Técnico do Ano da FIFA na categoria de futebol feminino. Ele seguiu os passos da alemã Silvia Neid, ganhadora em 2010.

Ao lado do técnico japonês, também foram nomeados para a eleição final a sueca Pia Sundhage (técnica dos EUA) e Bruno Bini (treinador da França).

Para Sasaki, o ano de 2011 não poderia ter sido melhor no futebol. Na Copa do Mundo Feminina da FIFA Alemanha 2011, o treinador de 53 anos levou a seleção nipônica ao maior triunfo da sua história. Na final, as japonesas derrotaram os EUA em uma final dramática que só foi decidida nas cobranças de pênalti e mereceram ficar com o título mundial pela primeira vez. O estilo de jogo dinâmico e atraente do Japão foi sem dúvidas o maior motivo do sucesso da equipe na Alemanha 2011.

Após a premiação, Sasaki concedeu uma entrevista exclusiva ao FIFA.com, falando sobre os melhores momentos da carreira e dos sentimentos sobre a eleição.


Na cerimônia da Gala da Bola de Ouro FIFA, realizada na noite desta segunda-feira na Kongresshaus de Zurique, na Suíça, o argentino Lionel Messi ganhou o prêmio de melhor atleta do ano pela terceira vez consecutiva. Já a japonesa Homare Sawa foi eleita a Jogadora do Ano da FIFA pela primeira vez.

O espanhol Pep Guardiola, técnico do Barcelona, e o japonês Norio Sasaki, treinador da seleção feminina do Japão, foram os vencedores na categoria de Treinador do Ano da FIFA no futebol masculino e no feminino, respectivamente.

O Barcelona de Messi e Guardiola fechou 2011 com a conquista da Copa do Mundo de Clubes da FIFA, realizada no Japão, completando mais um ano espetacular, no qual já havia levado os títulos da Liga dos Campeões da Europa, do Campeonato Espanhol, da Supercopa da Espanha e da Supercopa da Europa.

Por sua vez, o Japão ganhou sua primeira Copa do Mundo Feminina da FIFA mostrando grande superação. Na decisão contra os Estados Unidos, as japonesas estiveram atrás no placar em duas oportunidades, mas levaram o título ao vencer a disputa de pênaltis.

Os quatro premiados foram definidos em eleição. Nela, capitães e técnicos das seleções masculinas (no caso das duas premiações masculinas) e femininas (para os dois prêmios femininos), bem como representantes da imprensa internacional, selecionados pela revista France Football, votaram nos candidatos de cada uma das quatro categorias. Os votos de cada um dos três grupos representavam um terço do resultado final.

Esta foi a segunda edição da Bola de Ouro FIFA, que começou em 2010, após a fusão entre o prêmio de Jogador do Ano da FIFA e a Bola de Ouro da revista France Football. Foi uma noite inesquecível, com a presença de muitos craques do presente e do passado no palco e no tapete vermelho. O público, composto por convidados de todos os cantos do mundo, pôde se deliciar ao som da banda suíça TinkaBelle e do cantor e compositor inglês James Blunt.

Lionel Messi foi o vencedor com 47,88% dos votos, superando Cristiano Ronaldo, que somou 21,6%, e Xavi, que obteve 9,23%. Já Sawa, a Jogadora do Ano da FIFA, comandou o Japão na conquista da Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011, quando levou a Bola de Ouro adidas como melhor jogadora da competição e a Chuteira de Ouro adidas por seus cinco gols. A meio-campista ficou com 28,51% dos votos, superando a brasileira Marta e a americana Abby Wambach, com 17,28% e 13,26%, respectivamente.

Pep Guardiola levou o prêmio de Treinador do Ano da FIFA no Futebol Masculino com 41,92% dos votos, ficando à frente de Alex Ferguson, do Manchester United, que obteve 15,61%, e do português José Mourinho, do Real Madrid, que ficou com 12,43%.

Já no futebol feminino, o japonês Norio Sasaki foi escolhido como o Treinador do Ano da FIFA com 45,57% das opiniões, deixando para trás a sueca Pia Sundhage, técnica dos Estados Unidos, com 15,83%, e o técnico da seleção francesa, Bruno Bini, com 10,28%.

O sindicato internacional dos jogadores de futebol, o FIFPro, pediu a 50 mil jogadores profissionais de todas as partes do mundo que montassem sua equipe ideal do ano de 2011, formando a Seleção do Mundo da FIFA/FIFPro. No final, foi escolhido o seguinte time de craques: Iker Casillas (Espanha) no gol; Daniel Alves (Brasil), Gerard Piqué (Espanha), Sergio Ramos (Espanha) e Nemanja Vidic (Sérvia) na defesa; Xabi Alonso (Espanha), Andrés Iniesta (Espanha) e Xavi (Espanha) no meio de campo; e Cristiano Ronaldo (Portugal), Lionel Messi (Argentina) e Wayne Rooney (Inglaterra) no ataque.

Já a votação para o Prêmio Puskás da FIFA, concedido ao gol mais bonito do ano, foi realizada pelo FIFA.com e pelo site francefootball.fr e teve a participação de mais de 1,5 milhão de torcedores. Criado em homenagem a Ferenc Puskás, capitão e astro da seleção húngara nos anos 50, o prêmio foi para o brasileiro Neymar, pelo golaço marcado no Campeonato Brasileiro, em partida disputada entre Santos e Flamengo na Vila Belmiro no dia 27 de julho de 2011.

Alex Ferguson recebeu o Prêmio Presidencial da FIFA das mãos do presidente da entidade, Joseph S. Blatter, por sua incrível dedicação, comprometimento e serviços prestados ao futebol. No dia 6 de novembro de 2011, Ferguson completou 25 anos à frente do Manchester United. Durante esse período, o clube ergueu 30 troféus, entre eles 12 do Campeonato Inglês, cinco da Copa da Inglaterra, dois da Liga dos Campeões da UEFA e um da Copa do Mundo de Clubes da FIFA.

O Prêmio Fair Play da FIFA ficou com a seleção feminina do Japão, que teve de lutar dentro e fora dos campos, superando toda a dificuldade do terremoto que assolou o país em março de 2011, quando várias pessoas perderam a vida. A equipe demonstrou enorme poder de superação para chegar à final da Copa do Mundo Feminina da FIFA 2011, erguendo o troféu da competição pela primeira vez em sua história. A premiação foi recebida pelo presidente da Federação Japonesa de Futebol, Junji Ogura, e pela capitã da seleção, Homare Sawa.

Simone Farina foi chamado ao palco e premiado por sua coragem por ter denunciado o assédio que sofreu para se envolver na manipulação do resultado de uma partida. O jogador do Gubbio, da segunda divisão italiana, foi cumprimentado pelo presidente da FIFA por sua atitude e aplaudido pelos presentes.

Todos os Direitos Reservados. Copyright ® ABRAON
pagina gerada em 0.1216 segundos.